O tal assunto pífio

Como disse no meu post de abertura, foi lendo uma avalanche de comentários em um blog que eu senti vontade de fazer o meu próprio, em vez de somente comentar no dito blog polêmico.

O assunto? Lei que institui festival de cultura pop japonesa é promulgada

Eu sei que o assunto já tá até prescrevendo de tão antigo, mas como polêmica é difícil de ir embora, a revolta de algumas pessoas a respeito da lei que institui o Anime Friends como evento oficial no calendário cultural da cidade me deixou embasbacado.

O que mais me surpreende é a quantidade de gente que protesta dizendo que o evento agora vai receber dinheiro público (até dizendo que vai DESVIAR dinheiro público), que o evento não merece, que o evento é uma porcaria e, principalmente, que NÃO É CULTURAL.

Eu poderia linkar minha crítica a alguns fãs de j-music no Brasil que pensam que a Yamato Music é capitalista, que não tem fãs, e nem pensa nos fãs e etc, mas esse assunto eu queria tratar com mais carinho mais tarde.

Umas das coisas que eu li lá, e até concordo, é que a grande queixa é que os eventos no Brasil não se parecem em nada com os eventos no exterior, onde as grandes empresas participam e fazem grandes anúncios, que tem convidados famosos (não somente cantores, mas atores, desenhistas, ilustradores etc.). Isso acontece por uma questão simples de mercado, e não porque o evento é isso ou aquilo. Não podemos esperar um anúncio quente da Kodansha no Brasil, simplesmente pq o mercado deles é lá no Japão. A Panini faz isso dentro do Anime Friends, e a NEW POP também, tanto que lançaram o mangá de K-ON! lá no evento. Vamos guardar as devidas proporções, né?

Já participei de eventos de animê na Argentina e no Chile, e eles são diferentes do Brasil e mesmo entre si, com características diferentes, afinal o povo é diferente, não? Assim como shows, que além de Argentina e Chile eu também vi no Peru e até no Japão. Não tem como comparar um com o outro, são culturas diferentes.

Falando em cultura… O que faz um evento ser CULTURAL?

O Anime Friends surgiu em 2003 sendo o primeiro evento de animê a trazer cantores japoneses para show ao vivo em nosso país. O fato de ele ter sido feito no mesmo dia do AnimeCon, à época o evento mais tradicional e já conhecido do grande público despertou certa ira em fãs e alguns entusiastas (jornalistas, por exemplo) que dura até hoje. Posso dizer que desde 2003 está na moda odiar a Yamato. Até eu já odiei (e muito), quando fui um dos milhares que ficaram do lado de fora do Anime Friends 2004. Foi quando eu prometi que nunca mais iria pagar por um evento de animê.

Esse ódio pela Yamato e o Anime Friends chega a cegar para alguns fatos. O evento cresce muito a cada ano, agrega outros setores de entretenimento (aliás, entretenimento é cultura?) mas sem nunca deixar de lado as “raízes animê”, seus principais shows ainda são de cantores japoneses, todos os anos tem apresentações de taiko, concursos de ilustração, exposição de fanzines e por aí vai. E no ano passado houve o Asia Fest, que muita gente preferiu ver como uma afronta ao Festival do Japão em vez de considerar uma opção cultural para quem vem ao Anime Friends. No Asia Fest foi fortemente abordado e apresentado as diferentes culturas de Japão, China, Coreias e outros países do Oriente. Mas os otakus pouco frequentaram o Asia Fest, talvez por ser cultural demais? E eu tenho certeza que muitos dos que comentaram no tal blog sequer se lembram disso, afinal é muito mais divertido assistir aos concursos de cosplay, comprar mangás, jogar games ou assistir aos shows, tudo isso regado a muito Mupy.

Já ficou longo demais aqui, então gostaria de encerrar com alguns pontos a ponderar:

  • O Fest Comix consegue ser barato pois a maior renda da Comix está na VENDA DE LIVROS E REVISTAS, verdadeiro propósito da feira;
  • Se o Anime Friends ganha tanto dinheiro assim, e se é tão fácil fazer um evento mais “cultural”, o que acontece que não apareceu outra empresa para fazer igual?
  • Se o vereador esteve envolvido em denúncias de corrupção, isso o impede de fazer outras ações, ou invalida suas iniciativas? Quero dizer, se o Lula tivesse envolvido no mensalão, ele não poderia ter lançado o ProUni ou o Fome Zero?
  • Em quem você votou pra vereador, na última eleição? Ah, só pra saber.
  • A lei institui o Anime Friends no calendário cultural, e declara apoio do poder público. EM NENHUM MOMENTO diz que o evento receberá recursos do município. Isso se dá por emendas, não por leis.
  • Pacabá, vou apenas colar aqui um dos comentários, que fez valer a minha madrugada depois de viajar da Argentina ao Brasil e ainda ficar lendo um monte de bobagem no tal blog:
“eu pago imposto todo ano, e não tenho saúde e educação básica de boa qualidade…
mas eu vou perder meu tempo me preocupando com lei de evento de anime, pq eu sou mto desocupado como todos nesse tópico”
gostou do que leu? compartilhe
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp

comente!

Fechar Menu